Somos do Céu!

Crónicas 20 maio 2020  •  Tempo de Leitura: 2

Não somos daqui.

 

Estamos emprestados. Fomos emprestados por um Céu que está muito além do nosso entendimento.

 

Não somos daqui e ninguém sabe, ao certo, ao que vem nem para que vem.

 

Ninguém nos diz, quando descemos, que coisas teremos à nossa espera.

 

Ninguém nos põe uma carta no bolso e nos pede que a abramos, só, e apenas, quando chegarmos à vida e ao caminho que nos esperam.

 

Não sei bem como explicar isto, mas sei que não somos daqui. Não estamos cá porque calhou. Porque aconteceu. Porque as coisas são assim.

 

Em primeiro lugar, porque isso não faria qualquer sentido. Ninguém vai a um lugar só porque sim. Sem razão nenhuma. Quando vamos (seja onde for) temos um propósito. Queremos ir. Queremos ver. Queremos conhecer. Queremos encontrar.

 

Em segundo lugar, porque tenho fé. Acredito que a vida não pode ser um acaso, uma coincidência, um raspar de pele – ao de leve – aqui neste mundo.

 

Acredito (profundamente) que estamos cá para deixar marca. Para sublinhar o mundo com a nossa existência. Com a nossa presença. Com o nosso carácter. Com a nossa forma de falar. De pensar. De amar. De procurar. De querer. De sonhar. De ousar.

 

Claro que haverá momentos em que não conseguiremos evitar sublinhar esta terra com as nossas fraquezas, fragilidades, impaciências, mentiras e, até, maldades e desvios de carácter.

 

Mas o Céu em que eu acredito pede-nos que deixemos marca de paz. De alegria. De ternura. Pede-nos que sejamos raiozinho de sol ao fim do dia; fiozinho de água a correr numa cascata já quase seca; pássaro que esquece as suas asas para salvar outras asas como as suas; folha de árvore que não tem medo de cair, se esse for o seu propósito.

 

Não somos daqui. Somos do Céu e houve Alguém que nos emprestou e nos quis dar a oportunidade de viver, para os outros e para o mundo, de forma inesquecível.

 

Não és daqui. Não te esqueças disso um minuto que seja. Ainda vamos a tempo de fazer tudo valer a pena.

Para a Irmã Marta Mendes (ASM)

tags: Marta arrais

Marta Arrais

Cronista

Nasceu em 1986. Possui mestrado em ensino de Inglês e Espanhol (FCSH-UNL). É professora. Faz diversas atividades de cariz voluntário com as Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus e com os Irmãos de S. João de Deus (em Portugal, Espanha e, mais recentemente, em Moçambique)

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail