Incondicional: o amor que sabe renascer

Crónicas 30 setembro 2019  •  Tempo de Leitura: 3

Acredito no amor incondicional entre pessoas. Eu sei que todos nós nascemos com capacidade de amar incondicionalmente. Talvez com a vida, com os erros e com tanta outra coisa mais, a vida nos faça desconfiados e nos dificulte o processo de amar e deixar-nos amar. Mas eu confio que todos somos capazes desse amor. Às vezes ver de perto faz-nos ter a sensação que tudo está errado, que muito erramos, que os outros muito erram. E sim, tudo isso é verdade. Mas também há em cada um de nós a capacidade de fazer algo maravilhoso. E o que é amar incondicionalmente senão amar sem medida? Senão amar, uma e outra vez? Senão amar vezes infinitas? O que é o amor sem começos, recomeços, rerecomeços e rererecomeços?

 

O amor não é uma contagem de erros em que se sai melhor quem tem menos erros. No amor não se conta. No amor não se mede. O amor não é matemático. No amor caminha-se lado a lado. Evoluiu-se, cresce-se. Segue-se em frente. Para-se. Olha-se à volta. Reavalia-se a rota. E segue-se caminho. O amor é uma tentativa erro daquilo que nos faz bater mais forte o coração. Daquilo que nos faz mais feliz, daquilo que nos enche mais da alegria que vem do coração.

 

O amor no ser humano é incondicional na medida em que não tem começo nem fim, sempre continua, sempre se reinventa, sempre se transforma. O amor é eterno porque nunca é o mesmo. É sempre outro. É sempre novo a cada instante. Nasce de novo com o amanhecer. Nasce de novo com a nossa capacidade de sonhar, de caminhar, de querer.

 

Bem sei que o mundo é imperfeito, errante, defeituoso. Bem sei que o mundo está ferido, tão ferido que por vezes nos perguntamos como se poderá restituir? Como poderá o mundo renascer, refazer-se? Como podemos nós perdoar? Querendo! Como podemos nós amar? Querendo. Tentando. Uma e outra vez. Vezes infinitas até conseguirem. Sabendo reconhecer que amamos cada pessoa de maneira diferente porque cada uma delas é única e irrepetível. Deixemos que o amor se ponha com o ocaso em cada dia. Enfrentemos as dificuldades com ousadia a noite. O amor precisa de aceitar a noite, o sofrimento, as feridas, as cicatrizes, a vulnerabilidade e a fragilidade de cada um porque só assim é real, só assim sabemos que está vivo. Um amor incondicional não é um amor à prova de balas. Um amor incondicional é amor que é baleado pelas milhares dificuldades e sofrimentos da vida e os ousa aceitar, vivendo um dia de cada vez. Só um amor incondicional é capaz de se dar, de se entregar. Só um amor que sabe ser noite pode tornar-se em amanhecer. Afinal de contas o amanhecer é a meta do amor de quem percorreu o ocaso da noite sem ver rasto de luz ou brilho das estrelas. O amor incondicional é o amor de quem vive a vida. É o amor que renasce, que se reinventa. É o amor que transforma a escuridão em luz e o deserto em selva. O amor só o amor, mesmo que difícil, faz a vida valer a pena.

Leiga Missionária Comboniana por vocação. Gerontóloga de profissão. Nasci do amor e fiz d’Ele o meu caminho e missão. O meu lema de vida é “Ama e farás o que quiseres”. Peregrina de mim, viajante da vida, do mundo e das pessoas. Levo o coração como bússola e o amor de Deus como mapa no bolso de trás.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail