Jovem, a Igreja precisa de ti!

Crónicas 18 novembro 2022  •  Tempo de Leitura: 3

Depois de tudo o que temos vindo a saber sobre a Igreja e sobre o avançar do Mundo fico extremamente contente por ainda ver jovens católicos. É verdade que não temos o número de jovens que desejávamos (basta olharmos para tantas Eucaristias) e, em muitos momentos, parece que não conseguimos levar Aquele que é a eterna novidade até aos seus corações.

 

No entanto, acho que precisamos de entender que a Igreja não precisa de muitos e isto serve para qualquer faixa etária. A Igreja necessita, isso sim, dos que O querem verdadeiramente, dos que O buscam com tudo o que são e fazem. No entanto, nesta fase tão atribulada é de louvar a presença dos jovens na Igreja.

 

São os jovens que ainda nos dão a esperança. E precisamos tanto deles. Precisamos da irreverência (que muitas vezes temos também de ser nós a acordá-la), precisamos da criatividade, precisamos do seu apoio, precisamos da sua forma de estar com os outros e com o Mundo.

 

Mas se precisamos deles e reconhecemos a sua importância no nosso meio, porque é que cada vez são menos? Porque é que não lhes arde o coração quando falamos de Deus? Porque é que não vêem na Igreja um espaço para se desenvolverem na totalidade? Porque é que fogem a sete pés?

 

Na minha opinião, apesar de reconhecermos a importância da presença da juventude na Igreja, ainda não conseguimos passar isso para a ação. Parece que temos medo que tirem protagonismo a quem cá está há mais tempo. Parece que vivemos atormentados pelas mudanças que possam implementar. Parece que vivemos com receio que nos venham mostrar uma outra face de Deus.

 

Não basta dizer que precisamos dos jovens. Temos de o testemunhar. Como? Respeitando-os. Demonstrando que a Igreja pode ser um espaço seguro para eles. Demonstrando que a Igreja pode ser lugar de questionamento, de procura. Demonstrando que a Igreja é capaz de os aceitar como são e de os ajudar na exploração das dúvidas sem julgamentos.

 

A Igreja, para ter jovens, precisa de ser como Jesus: jovem, próxima, acolhedora e expert em amar e fazer sentir os outros amados.

 

Jesus não deixou de ser atual e a Sua Palavra não deixou de fazer efeito. Precisamos é de a levar de um outro jeito. Precisamos de deixar para trás a teimosia do "sempre foi assim". A Igreja precisa dos jovens para que todos possamos sentir o respirar da novidade e da beleza oferecida por Deus!

Nasceu em 1994. É estudante do Mestrado Integrado em Psicologia na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto. É acólito e catequista. Adora pensar e pôr os outros a pensar. “Porque nem tudo faz sentido...” é o nome do seu blog e da sua primeira obra literária lançada em 2014. Desbrava um caminho de encontro consigo mesmo, com o outro e com Deus. “Minh'alma anseia por mais de Ti. Meu coração só deseja a Ti. Lembro do dia em que Te conheci. A minha vida mudou. A minha vida mudou.”.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail