E se soubéssemos esperar?

Crónicas 3 dezembro 2021  •  Tempo de Leitura: 1

E se soubéssemos esperar? Se soubéssemos talvez não nos deixássemos tantas vezes em segundo plano. Sempre preenchidos com datas inadiáveis. Ou com preocupações de última hora que nos impedem de estar connosco mesmos. Se soubéssemos talvez nos dedicassemos a conhecer o que tanto nos assusta e que nos impossibilita de ser cada vez mais e melhor.

 

E se soubéssemos esperar? Se soubéssemos talvez não desperdiçariamos a oportunidade de estar com os que mais amamos. Teríamos a sabedoria de saber aproveitar cada instante como verdadeira eternidade e andaríamos, certamente, com a certeza de nos sabermos completamente doados ao outro.

 

E se soubéssemos esperar? Quantos momentos teríamos de contemplação? Quantos momentos teríamos para nos deliciarmos com o silêncio? Quantos dias não nos teriam sido marcados de forma mais intensa? Quanto não poderia ter sido mais e melhor?

 

E se soubéssemos esperar? Sem termos que andar numa rotina que nos apressa com a ilusão de que não há tempo para se ter tempo? E se não fizessemos nada mais do que esperar para nos tornarmos morada para os outros?

 

Saber esperar traz-nos a capacidade de descobrir a beleza da simplicidade. Torna-nos simples. Esvazia-nos do materialismo e preenche-nos com a riqueza das relações, do afeto. Saber esperar torna-nos humanos, porque é na espera que toda a vida cresce. Que toda a vida ganha forma.

 

Hoje, antes de saíres para a correria de mais um dia, pergunta-te: o que não te deixa esperar? Que receios tens na (tua) espera?

Nasceu em 1994. É estudante do Mestrado Integrado em Psicologia na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto. É acólito e catequista. Adora pensar e pôr os outros a pensar. “Porque nem tudo faz sentido...” é o nome do seu blog e da sua primeira obra literária lançada em 2014. Desbrava um caminho de encontro consigo mesmo, com o outro e com Deus. “Minh'alma anseia por mais de Ti. Meu coração só deseja a Ti. Lembro do dia em que Te conheci. A minha vida mudou. A minha vida mudou.”.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail