Está na altura de seres santo(a).

Crónicas 22 janeiro 2021  •  Tempo de Leitura: 3

Está na altura de seres santo. E para isso tens de desconstruir algumas imagens que tens sobre os santos. Não é momento de seres "santinho" ou "santola". É o tempo ideal de te dedicares à santidade com a tua frágil humanidade. E nem os erros, nem as quedas te evitam de lá chegares, pois se errastes, muda. Se caíste, levanta-te. Não te deixes ficar preso. Ele próprio já te retirou tudo isso e espera agora que avances. Até Ele e por Ele.

 

Está na altura de seres santo. E desengana-te se achas que para o ser tens de ter associada a ti uma imagem heroica, perfeitinha ou style de beato ao domingo de manhã. Para caminhares em direção à santidade é-te exigido apenas que uses a tua autenticidade. É-te pedido que reconheças que a tua vida é capaz de ser muito maior no serviço àqueles que contigo vivem e convivem. É-te feito o convite de largares o egocentrismo que te cega para passares a abraçar uma vida em missão.

 

Está na altura de seres santo. De arregaçares as mangas e deixares que tudo o que dizes seja sinal de humanismo. De preocupação pelos que são oprimidos e perseguidos. De verdadeira empatia pelos que ninguém vê, ninguém fala. De verdadeiro acolhimento para com aqueles que são considerados indignos. Caminhar até à santidade é partir até às bermas. Até às periferias da sociedade e reconhecer, em tantas histórias, a presença d'Aquele que dizes acreditar. Sem estereótipos. Sem julgamentos.

 

Está na altura de seres santo. E em tempo de pandemia e de confinamento, és santo toda a vez que te deixas ficar em casa. És santo sempre que ligas aos que te são próximos a perguntar como é que estão e a dar-lhes um pouco do teu tempo. És santo todas as vezes que te preocupas com os teus vizinhos. És santo sempre que disponibilizas o que tens para ajudar aqueles que passam por dificuldades nestes momentos de enorme incerteza. És santo sempre que deixas que a tua humanidade se reflita em atos e em palavras que te salvam e que salvam os que te rodeiam.

 

Está na altura de seres santo. E não podes chegar até lá se não considerares também isto: oração e silêncio. Reza-Lhe por ti e por todos. Amigos e inimigos. Fãs e haters. Conhecidos e desconhecidos. Fala-Lhe do quão difícil é este caminho de felicidade que Ele te propõe e deixa-te abrir à constante novidade. E silencia-te. Permite que o silêncio atenue a dor da falta de respostas e a impotência de não conseguires mudar tanto quanto desejavas.

Nasceu em 1994. É estudante do Mestrado Integrado em Psicologia na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto. É acólito e catequista. Adora pensar e pôr os outros a pensar. “Porque nem tudo faz sentido...” é o nome do seu blog e da sua primeira obra literária lançada em 2014. Desbrava um caminho de encontro consigo mesmo, com o outro e com Deus. “Minh'alma anseia por mais de Ti. Meu coração só deseja a Ti. Lembro do dia em que Te conheci. A minha vida mudou. A minha vida mudou.”.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail