Querido Finalista!

Razões para Acreditar 14 junho 2019  •  Tempo de Leitura: 7 min

Querido Finalista,

 

Agora que acabaram as queimas, as festas estão a chegar ao fim ou, simplesmente, pudeste ficar uns dias em casa num ritmo mais relaxado, é tempo para balanços.

 

Em primeiro lugar, deixa-me dizer-te parabéns por mais uma etapa concluída! Não sei se estás a acabar o 12º ou a faculdade ou qualquer outra meta importante para ti. Estejas onde estiveres, a esta altura já te deves ter dado conta que isto não é o fim, embora seja mais um marco importante na tua vida.

 

Sabes, a minha vida foi uma constante superação de metas, mesmo quando pensava que aquela que vivia seria a última. Muitas vezes me lembrei da montanha ao lado de minha casa no País Basco, que tantas vezes subi nos primeiros anos da minha vida: enquanto a subia, nunca me lembrava que, depois de chegar ao cume, à minha frente tinha um novo pico para alcançar. Esta foi a tua montanha e, agora, esta é a tua paisagem, o teu cansaço, o teu respirar-fundo para poderes avançar para um novo objetivo.

 

As metas são sempre tempos de balanço, incertezas e sonhos. Como em todas as metas, desfruta do que alcançaste e prepara-te para o futuro, prepara-te para seguir viagem.

 

Gostava de partilhar contigo algumas dicas para viver este tempo, inspirado no que escrevi no livrinho dos Exercícios Espirituais e na minha experiência de vida como fundador dos jesuítas. Espero que te ajudem.

Sê quem és. Ninguém vai ser por ti nem vais ser o que os outros quiserem. À medida que crescemos, damo-nos conta de tanta coisa em nós de que não gostamos: umas, podemos mudar, outras, temos de aceitar. O grande truque é olhar para nós próprios com amor e paciência, sabendo que tudo o que somos é muito bom, sabendo que os nossos limites, medos e inseguranças nos fazem agir, às vezes, como não queríamos. A pressão à nossa volta, o que os outros esperam de nós, as projeções que idealizamos, não podem distorcer o que queremos chegar a ser. Supera-te a ti mesmo, ou seja, não tenhas medo de procurar no mais íntimo de ti próprio aquilo que estás chamado a ser.

 

Dá o melhor de ti em tudo e usa o esforço que pões nas coisas como critério. Não te esqueças que és muito mais que a soma dos teus sucessos e fracassos, não és só uma das tuas características, mas és um ser único e irrepetível com tudo o que te compõe. A esta altura, já te deves ter dado conta que nem sempre as coisas saem como planeamos. Aprende a conhecer-te cada vez melhor, olha para estes anos e vê onde cresceste, o que aprendeste, onde estiveste bem e do que te arrependes. Olha para tudo com um olhar justo, sem soberba nem vergonha, mas com realismo e esperança.

 

Agradece tanto bem recebido. Chegaste aqui pelo teu esforço, é verdade, mas não estavas sozinho. O caminho esteve povoado de amigos e mestres que te ensinaram os passos, te deram o braço e caminharam contigo. Gente surpreendente, uns que passaram e outros que estiveram lá sempre. Uns que te serviram de exemplo e outros para quem foste tu o modelo a seguir. Se estiveste atento a tudo e a todos, vais ver que a vida não chega para agradecer tudo o que recebeste, sobretudo as amizades e os momentos que fizeram de ti uma pessoa melhor.

 

Apaixona-te. Se viveres apaixonado pela vida e pelos outros, os resultados académicos são só mais um dado (nem sequer o mais importante). Viver a vida com amor não acaba com as dificuldades nem te alheia da realidade, mas traz otimismo aos teus dias. O amor está mais no modo como fazes as coisas, como ages, como serves os outros. Tu, com os teus talentos, és importante para o mundo. Presta atenção aos que te rodeiam, especialmente aos mais desfavorecidos e desprotegidos porque são diferentes, porque a língua que falam, ou a cor da sua pele, ou a sua atração sexual, ou as suas crenças não são as da maioria. Defende-os, denuncia a injustiça, respeita os direitos dos outros e cumpre os teus deveres como cidadão do mundo.

 

Finalmente, escolhe bem. Escolhe o melhor entre os bens que a vida te oferece. A vida é feita de muitas escolhas e o mundo à tua volta vai apresentar-te mil possibilidades e oportunidades. Nunca vais poder agarrar todas, por isso, escolhe as melhores. Entre uma opção boa e uma má, a escolha é fácil, mesmo que aparentemente a má dê mais prazer ou prestígio. A dificuldade em escolher está quando a vida te põe à frente duas possibilidades que são boas; olha para ambas, mede todos os critérios que estão ao teu alcance e, no fim, escolhe a que potencia o melhor que há em ti e nos outros.

 

Sabes, sempre dei muita importância aos verbos, sobretudo aos dos sentidos, na atenção ao mundo que nos rodeia: ver, ouvir, tocar, sentir, gostar. Vive atento para que não te enganem e vivas sempre na verdade.

 

Querido Finalista, tens tudo isto ao teu dispor. Não te esqueças que o futuro não se improvisa. Nem sequer começa amanhã. O futuro começa com o modo como vivas o hoje; aliás, tu serás amanhã o melhor do que já és hoje. Por isso, aproveita este tempo no cimo da montanha para desfrutar da paisagem: descansa desta etapa que agora termina; aceita quem és, com todos os teus talentos e limites; agradece tantos momentos e pessoas que fazem parte da tua vida; ama-te e ama os outros pelo que são, como são, onde estão; e escolhe sempre o bem maior, aquele que te leva e aos outros a construir um mundo melhor.

 

Intercedo por ti junto de Jesus. Teu amigo,

 

Inácio

tags: PontoSJ

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail