Não é o que nos falta. É o que temos.

Crónicas 01 maio 2019  •  Tempo de Leitura: 2 min

Não é o que nos falta. É o que temos.

Não são os que nos falharam. São os que sempre estiveram.

Não é o que nos falta andar. É o caminho que já fizemos.

Não é a mágoa de estimação. É a alegria que acaba por se descobrir, apesar de tudo.

Não é o que não se conseguiu fazer. É o que se conquistou quando não se esperava nada.

Não é o que os outros nos dizem. É o que nós escolhemos ouvir.

Não é o que sonhamos. É o que escolhemos fazer.

Não é o que fica no papel. É o que se torna ação, gesto, força e ternura.

Não é o plano. É o que implica construir.

Não é a casa. É quem temos dentro dela.

Não é o que se diz. É como se diz.

Não são as luzes que se acendem. São as luzes que podemos acender.

Não é o prémio no final. É o que se aprendeu até lá chegar.

Não é o passado. É a história que nos trouxe até aqui.

Não é o futuro. É a possibilidade bonita de ficar por cá mais um bocadinho. Ou não.

Não é o tempo que corre depressa. Somos nós.

Não é a vida. Somos nós.

Não é o que tem que ser. Somos nós.

Não há coincidências. Há caminhos.

A vida nunca é sobre o que nos falta. É (quase) sempre sobre o que temos.

tags: Marta Arrais

Marta Arrais

Cronista

Nasceu em 1986. Possui mestrado em ensino de Inglês e Espanhol (FCSH-UNL). É professora. Faz diversas atividades de cariz voluntário com as Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus e com os Irmãos de S. João de Deus (em Portugal, Espanha e, mais recentemente, em Moçambique)

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail