Francisco em Santa Marta: cristãos mundanos e rigoristas afastam as pessoas de Jesus

Na Missa em Santa Marta o Papa Francisco afirmou que existem cristãos que vivem uma relação fechada e egoísta com Jesus e “não ouvem o grito dos outros”. Vivem numa atitude mundana ou rigorista que afasta as pessoas de Jesus.
 
O Santo Padre comentou o Evangelho do dia e o episódio do cego Bartimeu, que grita por Jesus para ser curado mas é repreendido pelos discípulos para que se cale. O Papa Francisco recordou que os discípulos também afastaram as crianças “para que não incomodassem o Mestre”. São comportamentos e atitudes que fecham a relação com Jesus – declarou o Papa – tornando essa relação egoísta e sem testemunho. Muitos deles fazem mesmo os seus negócios usando o povo de Deus – observou o Santo Padre que caraterizou estes dois grupos de cristãos:
 
“São cristãos de nome, cristãos de salão, cristãos das receções, mas a sua vida interior não é cristã, é mundana. Uma pessoa que se diz cristã e vive como um mundano, afasta aqueles que pedem ajuda a Jesus.”
 
“Depois, há os rigoristas, aqueles que Jesus repreende, que colocam tantos fardos nas costas das pessoas. Em vez de responderem ao grito que pede salvação afastam as pessoas.”
 
Finalmente, há um terceiro grupo de cristãos que é aquele que ajuda as pessoas a aproximarem-se de Jesus. É o “grupo dos cristãos coerente com aquilo que crê e vive”, e que ajuda na aproximação de Jesus às pessoas que “gritam pedindo salvação” – afirmou o Papa Francisco que pediu que todos devemos fazer um exame de consciência para entender que cristãos somos nós: os que distanciam ou os que aproximam Jesus às pessoas?
Rádio Vaticana]

iMissio

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail