Comandar e obedecer

Razões para Acreditar 20 agosto 2018  •  Tempo de Leitura: 2 min

«Sabereis comandar quando tiverdes aprendido a obedecer.» «Quanto mais alto um homem sobe, de mais alto cairá.» Um leitor pede-me para comentar estas duas citações clássicas.

 

A primeira é uma máxima atribuída a Sólon, legislador ateniense e um dos “sete sábios” da antiga Grécia. A ideia será muitas vezes repetida: Platão, nas suas “Leis”, advertia que «quem não serviu, não pode tornar-se chefe digno de louvor».

 

Há, portanto, um aprendizado no saber guiar os outros: na família, no trabalho, na sociedade. E esse tirocínio não está no mandar, mas no servir e obedecer. Só assim nos formamos e estamos preparados para sermos capazes de suportar as dificuldades.

 

Só se estivermos em baixo é que conseguimos, uma vez no alto, compreender quanto é penoso o serviço diário, humilde e simples.

 

Por esta via chegamos à segunda frase, que na sua substância se refere a muitos autores clássicos e cristãos: a fórmula mais próxima é de S. Pedro Crisólogo, bispo de Ravena do século V.

 

O aviso toca, antes de mais, os poderosos que, muitas vezes do altar, são lançados para o pó, mas vale um pouco para todos e é um saudável antídoto para a ilusão do orgulho. Um antigo moto dizia: «Quanto mais alto é o monte, mais profundo é o vale».

 

A vida reserva surpresas a cada instante, e não raro desagradáveis. Por isso é preciso estarmos conscientes de que a glória e o sucesso são «como uma sombra que passa, como um navio que vai cortando as ondas agitadas, sem deixar rasto da sua passagem nem vestígio da sua quilha nas ondas» (Sabedoria 5, 9-10).

 

[P. (Card.) Gianfranco Ravasi | In Avvenire]

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail