Para descansar bem

Razões para Acreditar 13 agosto 2018  •  Tempo de Leitura: 3 min

Um dia os apóstolos regressaram das missões nas aldeias*. Deviam estar estoirados porque “eram tantos os que iam e vinham, que nem tinham tempo para comer” (v. 31). Jesus está lá quando eles regressam, escuta-os contarem o que aconteceu nas suas missões e depois convida-os a irem com ele recuperar forças: «Vinde, retiremo-nos para um lugar deserto e descansai um pouco.» (v. 31) Como foram “de barco”, percebemos que esse sítio isolado seria junto do Lago da Galileia. Quem já lá esteve percebe: apetece mesmo descansar naquele local…

 

Estar naquele barco com Jesus e entrar lago adentro deve ter sido fantástico para eles. De que falariam? Que bom que deve ter sido esse tempo gratuito com Jesus!

 

Só que o Lago da Galileia é um espaço aberto… As pessoas perceberam facilmente para onde Jesus e os apóstolos se estavam a dirigir e foram ao seu encontro caminhando pela margem. Chegaram primeiro que eles. E não eram só 3 ou 4. O evangelista diz que “eram uma grande multidão”.

 

Ao desembarcar e ver a multidão, a reacção de Jesus foi surpreendente: em vez de os mandar embora, “encheu-se de compaixão porque eram como ovelhas sem pastor e pôs-se a ensiná-los”. E, depois dos ensinamentos deu-lhes de comer: foi a multiplicação dos pães.

 

Creio que podemos fazer alguns paralelos connosco e com os nossos descansos. Porque é óbvio que todos precisamos de descansar mas não é nada óbvio como é que isso se faz. Quando falo em descansar falo em “carregar baterias” e não só em não trabalhar. E isto vale para quem está em férias mas também para quem quer aprender a descansar mesmo sem estar em férias.

 

1. Só se descansa bem de coração aberto aos outros.

 

Ao desembarcar, Jesus podia ter mandado as pessoas embora. Tinha muitas razões para o fazer. Para além de ter tirado aquele tempo para estar só com o seu grupo de apóstolos, Ele próprio tinha acabado de receber a notícia da morte (do assassinato) do Seu grande amigo João Baptista (Mc 6, 33 ss). Jesus podia ter dito às pessoas: Desculpem mas agora é o meu espaço; por favor não Me incomodem. No entanto, a Sua reacção foi outra: sentiu que andavam perdidos (“como ovelhas sem pastor”) e pôs a ensiná-los. Não fechou o Seu coração, teve compaixão deles.

 

Continuar a ler...

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail