11 de janeiro, assinala-se o Dia Internacional do Obrigado

Razões para Acreditar 11 janeiro 2018  •  Tempo de Leitura: 4 min

«O que sei é que as expressões de cortesia estão a rarear, não por culpa do idioma, que nelas é fértil, mas por culpa dos falantes.», lamentava-se Vasco Botelho de Amaral (Grande Dicionário de Dificuldades e Subtilezas do Idioma Português). Hoje é dia de agradecer e existem várias expressões portuguesas para o efeito.


O Dia Internacional do Obrigado foi criado pelas redes sociais. Sendo a gratidão um valor que deve ser cultivado por todos, o seu fim é nobre.


O mote de hoje é agradecer a todos os que fazem parte das nossas vidas e que nos alegram, que nos fazem sonhar e acreditar. Palavras como “obrigado”, “agradecido”, “grato” não devem ser esquecidas e o seu uso diário é recomendável. Há, inclusivamente, estudos que alegam que ser grato pelas pequenas coisas da vida aporta grandes benefícios.


Na hora do agradecimento, estes são alguns dos vocábulos mais usados pelos portugueses:

Agradecido, que se relaciona etimologicamente com as graças que se dão reconhecidamente.


Grato, que assenta no latim gratus, isto é, acolhido com reconhecimento.


Bem haja, fórmula portuguesa que traduz um reconhecimento sincero de quem apenas deseja que o bem recaia na pessoa que motivou o agradecimento. Aproveito para informar que a expressão não é hifenizada e que no plural usamos «bem hajam».


Obrigado vem do latim obligatu-, particípio passado do verbo obligare, ‘ligar; empenhar; comprometer’. O vocábulo corresponde ao particípio passado de obrigar, um adjetivo que, segundo o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências, é definido como "que tem uma dívida de gratidão para com alguém”, podendo ser sinónimo de agradecido, grato ou reconhecido.


Enquanto forma de agradecimento, a palavra obrigado deve concordar em género e número com o sujeito que agradece:
 
– obrigado, se se tratar de um sujeito masculino;
 
– obrigada, se se tratar de um sujeito feminino;
 
– obrigados, se se tratar de um sujeito masculino plural;
 
– obrigadas, se se tratar de um sujeito feminino plural.


 
Napoleão Mendes de Almeida, no seu Dicionário de Questões Vernáculas, afirma: «Não importa que o agradecimento seja formulado a homem ou a mulher; o que importa é quem expressa a gratidão, se mulher ou homem».


A concordância é feita com quem expressa o agradecimento, não com a pessoa que o recebe. Se for um agradecimento coletivo, o plural deve ser usado. Se duas pessoas fazem um favor a uma mulher, esta deve responder "obrigada" e não "obrigados", porque a pessoa que fica grata é a mulher. Já um grupo de homens agradece com "obrigados".


Apesar de a palavra obrigado ser correntemente usada como interjeição de agradecimento independentemente do sujeito falante (forma invariável, sempre "obrigado"), esse uso não é recomendável. Embora o feminino esteja a deixar de ser usado e as formas plurais, que deveriam teoricamente ser utilizadas no agradecimento feito em nome de várias pessoas, sejam cada vez menos frequentes, a concordância com o sujeito que agradece deve ser estabelecida.


Expresse a sua gratidão, faça alguém sorrir!


Hoje sou eu que vos agradeço.


Obrigada!


[Ana Salgado | Gestora do Pórtico da Língua Portuguesa]

O portal iMissio é um projeto de evangelização iniciado em 2012, que tem tido como objetivo dar voz a uma comunidade convicta de que a internet pode ser um ambiente de evangelização que desafie o modo de pensar a fé. Tem pretendido ser espaço de relação entre a fé, a vida da Igreja e as transformações vividas atualmente pelo Homem.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail