Livro da semana: «Um lápis chamado Teresa»

Livros 27 fevereiro 2019  •  Tempo de Leitura: 3 min

Maria Teresa Maia Gonzalez convida de uma forma entusiasmante, e ao mesmo tempo acessível, o jovem leitor a conhecer e a ter vontade de aprofundar a vida e a obra de Madre Teresa de Calcutá.

 

Esta história baseia-se no relato da experiência de vida de uma adolescente de nome Teresa. O ponto de partida desta narrativa remonta à infância desta menina quando, no seu 4º ano de escolaridade, a professora Maria do Carmo propõe à turma a realização de um texto intitulado: «Se eu fosse...». Com esta sugestão, Teresa aceita o desafio e acrescenta ao título proposto: «Se eu fosse um lápis…».

 

Ao longo da história apercebemo-nos que Teresa desenvolve uma relação de proximidade e de cumplicidade com a sua tia Cristina. É num desses encontros que descobre a existência de uma outra Teresa, e da sua célebre frase: «Sou um lápis nas mãos de Deus.»

 

Este é para nós o momento da narrativa que consideramos mais relevante, uma vez que Maria Teresa Maia Gonzalez dá destaque à importância da família mais alargada e como esta pode contribuir para a educação e crescimento harmonioso desta adolescente. Dá, assim, a conhecer Madre Teresa de Calcutá, como modelo concreto de santidade: um coração que se abre ao sofrimento e à dor daqueles que estão em situação mais vulnerável; um coração que abraça o “outro”, através da entrega total, pela prática da caridade.

 

Cerca de três anos mais tarde, a pedido do professor de Português para que fizessem uma minibiografia sobre alguém famoso, de preferência, com o mesmo nome do aluno, ou o nome de um familiar próximo, a adolescente decide fazer um trabalho sobre Madre Teresa de Calcutá. É então que com a ajuda da tia Cristina, Teresa descobre o quanto se identifica com a vida e a obra desta mulher, tão maravilhosa e surpreendente.

 

Na parte final desta obra, Teresa completa o trabalho biográfico com pensamentos de Madre Teresa que expressam a sabedoria e magnanimidade desta mulher excecional, cuja obra é a sua própria vida:

 

«Todas as nossas palavras serão inúteis se não brotarem do fundo do coração. As palavras que não dão luz aumentam a escuridão.»

 

«Não estamos no mundo apenas para existir. Não estamos só de passagem. A cada um de nós foi dada a capacidade de fazer algo maravilhoso.»

 

«Jesus espera-nos sempre em silêncio. Escuta-nos em silêncio e no silêncio fala às nossas almas. No silêncio é-nos dado poder escutar a sua voz.»

 

Público-alvo: Juvenil

 

Ficha técnica:

Título – Um lápis chamado Teresa

Autora – Maria Teresa Maia Gonzalez

Editor – Paulinas Editora, 1 ed. Set. 2016, 72 págs.

Coleção – Magia das Letras

ISBN: 978-989-673-543-2



Agostinho Faria

Redator Livros

Licenciado em Comunicação Social e Cultural. Pós-graduado em Ciências da Informação e da Documentação. A viajar no surpreendente mundo novo das Paulinas Multimédia Lisboa.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail