As pessoas que nos regam os sonhos

Crónicas 19 junho 2017  •  Tempo de Leitura: 2 min

O telefone vibra e o meu coração treme com ele. A melancolia ganha espaço em mim. Estou longe, demasiado longe, para ser o abraço que resolve quando faltam as palavras. Estou longe demais para te oferecer o silêncio, dar o ombro como cabeceira e o corpo como a cama onde calmamente podes adormecer.

 

Não te preocupes, eu resolvo – dizes apressadamente, e eu penso na grandiosidade do amor de Deus. Não te preocupes, eu tomo conta de tudo – ouço-te do outro lado. Emociono-me. Quão grande é o amor de Deus. Quão insondáveis são os seus caminhos. Quanto faz Ele para chegarmos onde nos esperam. Em todas as pessoas que coloca no nosso caminho para podermos seguir-Te.

 

Está tudo bem – dizes. Está tudo bem - confio. Enquanto tiver a família como âncora, os amigos como vela e Deus como timoneiro deste barco ficará tudo bem. Enquanto tiver quem me regue os sonhos serei capaz do Amor. Não existimos sozinhos. “O corpo não é composto de um só membro, mas de muitos. Se fossem um só membro, onde estaria o corpo? Assim, há muitos membros, mas um só corpo. Quando um membro sofre, todos os outros sofrem com ele; quando um membro é honrado, todos os outros se alegram com ele.” (1 Cor 12, 14., 19-20, 26).

 

Estamos juntos na missão. Ninguém é missionário sozinho. Também o são todos quantos me são abraços e silêncios, todos quantos sofrem e se alegram comigo. A missão só é possível se todos forem missionários comigo. A missão só é possível se tiver quem por amor me regue os sonhos repetindo-me: descansa, está tudo bem, eu tomo conta de tudo.

 

A missão, tal como a vida, é um corpo composto por vários membros através dos quais acontecem sucessivamente pequenos milagres de Amor. Porém, só acontecem quando nos deixamos ser amados e permitamos que cuidem de nós, quando abrimos os braços e percebermos que não somos tudo, não estamos em tudo e não conseguimos tudo sozinhos. Deus fez-nos família. Deus fez-nos corpo. Ousemos ser membros desse corpo.

Paula Ascenção

Cronista

Leiga Missionária Comboniana por vocação. Gerontóloga de profissão. Nasci do amor e fiz d’Ele o meu caminho e missão. O meu lema de vida é “Ama e farás o que quiseres”. Peregrina de mim, viajante da vida, do mundo e das pessoas. Levo o coração como bússola e o amor de Deus como mapa no bolso de trás.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail