BAPTISMO DO SENHOR - Ano A

Crónicas 11 janeiro 2020  •  Tempo de Leitura: 5 min

“Por todos nós que recebemos o Baptismo,
pelos que estão em graça e paz com Deus e
por aqueles que entre nós vivem nas trevas…”
Ser Baptizado implica Ser luz!
Para Ser é preciso Ter… Ter Luz para que todos vejam,
sintam e queiram Ser e Ter também!
Se o compromisso do nosso Baptismo for uma realidade na nossa vida,
não podemos fugir a esta beleza que nos habita: Ser Filho de Deus e Ter Filiação Divina!

 

O Baptismo é o Sacramento que nos inicia na Fé Católica Cristã.
Não é uma novidade com apenas 2000 anos. É aquele gesto santificador que os profetas anunciavam com ardor:
«…tomei-te pela mão, formei-te e fiz de ti a aliança do povo e a luz das nações,
para abrires os olhos aos cegos, tirares do cárcere os prisioneiros e da prisão os que habitam nas trevas.»
O primogénito, que veio à Terra para nos oferecer a salvação, para destruir as trevas e o mal,
faz com que a ânsia de purificarmos a nossa vida, com água pura,
seja o ponto de partida de uma vida repleta de coragem, de força e de VIDA:
«Deus ungiu com a força do Espírito Santo a Jesus de Nazaré, que passou fazendo o bem e
curando todos os que eram oprimidos pelo demónio, porque Deus estava com Ele».
Após um momento tamanho, só podemos partir em Missão e anunciar pelos 4 cantos do Mundo:
«O Senhor abençoará o seu povo na paz.» porque é o que realmente queremos para o mundo: PAZ!

 

Hoje, a liturgia conspira em redor do fim do pecado, o fim para tudo o que nos faz sofrer,
e apresenta-nos a Esperança de que a Paz é possível:
«…abriram-se os céus e Jesus viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e pousar sobre Ele.»
Mas, depende de cada um de nós e da forma com que acolhemos cada ensinamento do Jesus de Nazaré:
«Este é o meu Filho muito amado, no qual pus toda a minha complacência».
Afinal, o nosso Irmão mais velho é a cabeça da Igreja, é o fundador de tudo o que somos e de tudo o que temos!

 

O que é isto de Ser Irmão de um Deus que é Filho e que nos habita com o Seu Santo Espírito?
É a nossa VIDA! É Ser Baptizado e usar com alegria o sinal do Baptismo.
Não podemos passar por aqui sem deixar marca, sem imprimir carácter…
Temos de mudar o rumo da história que quer criar uma humanidade colada a um ecrã e desviada do calor humano.
É urgente abandonar as palavras longas, as frases feitas, e ser acção… ter objectivos e cumpri-los!

 

Escuta… Sim! Tu que dizes seres Baptizado:
O encontro com o Senhor da Vida, que quer muito ser encontrado por ti, é de fácil acesso.
O primeiro passo é entrares numa casa do Pai, que é minha e tua.
O segundo passo é ficares confortável, afinal, estás em casa!
O terceiro passo é estares atento à Palavra que sai da boca de gente como tu e como eu,
mas foi escrita há muitos, muitos e muitos anos e que permanece actual e completamente assertiva
(porque acerta o teu passo com o meu andar e juntos fazemos caminho)!
O quarto passo é abrires um novo rumo para a tua vida,
para aí teres uma Missão na Igreja do Maninho mais velho…
Após o quarto passo terás que dar mais e mais, e jamais te sentirás cansado,
porque Ele, o Espírito Santo estará, eternamente, contigo.

 

Percebes agora, porque é que isto de ter o Baptismo é outro departamento?
Não tens descanso nem tranquilidade, mas terás Paz” (como diz o Pe. Zezinho)!
e Ser Baptizado é muito mais do que dizer que SIM, é Ser um SIM contínuo e visível,
para abrires os olhos aos baptizados que não querem ser, nem ter uma meta a atingir na Igreja de Jesus, O Cristo…
e aqui encontras o SINAL de que és um Baptizado de TOPO: Serás capaz de AMAR!
Ama os que são Igreja como tu… vai ao seu encontro… Dá-lhes a Tua Luz e…
no Amor infinito, Deus, Teu Pai, irá te resgatar das dúvidas, dos medos, das trevas e
o dia do teu Baptismo terá um doce sabor a mel!

Liliana Dinis

Cronista Litúrgica

Liliana Dinis. Gosta de escrever, de partilhar ideias, de discutir metas e lançar desafios! Sem música sente-se incompleta e a sua fonte inspiradora é uma frase da Santa Madre Teresa de Calcutá: “Sou apenas um lápis na mão de Deus!”
Viver ao jeito do Messias é o maior desafio que gosta de lançar e não quer esquecer as Palavras de S. Paulo em 1 Cor 9 16-18:
«Porque, se eu anuncio o Evangelho, não é para mim motivo de glória, é antes uma obrigação que me foi imposta: ai de mim, se eu não evangelizar. (…) Qual é, portanto, a minha recompensa? É que, pregando o Evangelho, eu faço-o gratuitamente, sem me fazer valer dos direitos que o seu anúncio me confere.»

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail