Não queiras ser Deus!

Crónicas 29 novembro 2019  •  Tempo de Leitura: 3 min

Cara amiga,

 

Enquanto lutares por seres quem não és… não serás nada. Nem o que és.

 

Não queiras saber tudo sobre todos, pois por mais que nos esforcemos jamais saberemos mais do que uma parte mínima, e isso é muito melhor! O esquecimento é um dom e o desconhecimento serve, muitas vezes, para que possamos ser mais felizes.

 

A vontade de poder é algo comum a quase todos nós, mas são poucos os que a veem como uma potencial fonte de desgraça para os outros e para si mesmos. Um dos testes mais exatos à personalidade de alguém é dar-lhe poder e observar o que faz com ele. Assim, faz sentido que nos sintamos impotentes face a muita coisa, mas, pelo menos, tira-nos a responsabilidade que existiria se pudéssemos fazer o melhor e não o fizéssemos.

 

Não queiras ter muitas coisas materiais, nem imateriais. O despojamento permite-nos voar, porque somos mais leves!

 

Revoltas-te contra a tua natureza humana, pela sua fragilidade e por todas as limitações. Todos nos cansamos e todos temos de morrer. É uma lei imutável. Queres mesmo perder o teu tempo e esgotar as forças a lutar contra algo que não mudará? Talvez importe mais que procures descobrir uma forma de aceitar estas condições, ao mesmo tempo que te dedicas a descobrir todas as coisas boas de estar vivo e de ser humano!

 

Há quem sonhe percorrer o mundo inteiro. Será que querem fugir de algo? Ou procuram algo de que sentem falta? Viajar é bom, mas a verdade é que há cada vez menos gente a ser capaz de estar onde está. De se admirar com as pequenas e grandes belezas que existem sempre em cada sítio, por mais estranho e vazio que pareça. Por vezes, são maravilhas interiores que despertam.

 

Sabes, o teu interior é um mundo, um verdadeiro universo. Arrisca-te a descobri-lo. Aventura-te. Acharás mares, montanhas, desertos e oásis! Não fujas nem julgues que a paz está num qualquer sítio à tua espera…

 

Não queiras ser Deus.

 

Não queiras ser senão tu. Não sejas egoísta, tu não és para ti. Encontra-te e sê delicada contigo mesma. Mas não queiras ser sozinha. Sem amor não há felicidade. Nem paz.

 

Não vivas amargurada, revoltada ou obcecada. Isso é um inferno.

 

Se te esforçares para ser alguém melhor do que foste no dia anterior, não só viverás muitas e novas alegrias… como chegarás ao céu.

 

Confio em ti. Rezo por ti.

Artigos de opinião publicados no site da Agência Ecclesia e Rádio Renascença.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail