Tu ainda acreditas?

Crónicas 25 outubro 2019  •  Tempo de Leitura: 3 min

«Mas quando voltar o Filho do homem,

encontrará fé sobre a terra?»

Lc 18, 8

 

Estaremos mesmo dispostos a acreditar? É certo que a nossa vida, e a de tantos e tantas, é abalada e atravessada, muitas das vezes, por acontecimentos e atrocidades que não conseguimos explicar, nem eliminar o nosso sentimento de tremenda impotência. No entanto, a fé que nos é proposta e que nos leva a arriscar é posta em causa, mas não deveria ser eliminada. Pode ser questionada, mas não deveria ser anulada. Deixarmo-nos desafiar pela fé é, como proferia há dias Pe. Miguel Almeida, sj no podcast do Observador, atravessarmos o mistério e percebermos que, aqui e agora, ele não será resolvido, mas será mantido e manifestado ao longo de todo o nosso percurso. Os mistérios são para isso mesmo, para nos deixar entrar nesta magnitude que nos ultrapassa e que nos convida a voltar o nosso olhar para o alto.

 

Dizermos que temos fé e que acreditamos leva-nos a não sabermos tudo. Leva-nos a acreditar num Pai que Se revela num Filho e que dinamiza todo o Seu amor num respirar divino e santo. Leva-nos a acreditar, muitas vezes contra tudo e todos, que a Vida não é finalizada quando todos a sentenciam ou quando a morte nos bate à porta. Acreditar e ter-se fé neste Deus revelado por Jesus Cristo, é confiar que o amor nos pode salvar. É crer que Deus, sendo amor, pode o que o amor pode. E o amor pode tudo. É aderir na nossa liberdade e na nossa fragilidade a uma proposta que jamais poderá ser resolvida, mas que nos pode resolver e levar à nossa verdadeira aceitação. 

 

Por isso, para que continue a existir fé sobre a Terra, não nos podemos deixar ficar por uma fezada que nos realiza quando nos bem apetece. Não nos podemos achar detentores de toda uma verdade, mas sim possuidores de um tremendo tesouro que não nos pertence e que deve ser partilhado, vezes sem fim, a todos e sem qualquer tipo de aceção. Para que continue a existir fé sobre a Terra convém que comecemos a ver os outros com o coração, pois só assim conseguiremos ver a Sua manifestAção em tudo e em todos.

 

O dom da fé foi-nos dado gratuitamente, mas não depende somente da obra do Espírito Santo para que ele se mantenha, por isso questiono-nos: tu ainda acreditas? Tu ainda acreditas em Deus? Em Jesus Cristo? No Espírito Santo? E na nova Vida que vem d'Ele e por Ele?

 

Se sim, então como nos manifestamos e como "transportamos" esta fé? 

 

Haverá fé na Terra se nos deixarmos confiar numa espera que anda de esperanças!

Nasceu em 1994. É estudante do Mestrado Integrado em Psicologia na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto. É acólito e catequista. Adora pensar e pôr os outros a pensar. “Porque nem tudo faz sentido...” é o nome do seu blog e da sua primeira obra literária lançada em 2014. Desbrava um caminho de encontro consigo mesmo, com o outro e com Deus. “Minh'alma anseia por mais de Ti. Meu coração só deseja a Ti. Lembro do dia em que Te conheci. A minha vida mudou. A minha vida mudou.”.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail