Esperança é fazer caminho…

Crónicas 10 setembro 2019  •  Tempo de Leitura: 3 min

Já se sente a tensão… Uma ou outra preocupação… Ansiedade… Anda esquecida a esperança e a serenidade de sentir que não é um fim mas um reinicio, um recomeçar…

 

Depois de uma semana de reuniões de apresentação do ano letivo aos pais, eis que as aulas reiniciam. A compra dos livros, do material didático; as atividades desportivas e as extracurriculares… Todo um conjunto de afazeres que retiram o sossego aos pais e aos alunos. 

 

Na apresentação da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica e enquanto ouvia os meus colegas a falar de programas e critérios de avaliação, ou com as questões e dúvidas dos encarregados de educação, "apeteceu-me gritar". Gritar que devemos entender a escola, como todo o resto da vida humana, como um caminho que se faz, que se constrói…

 

Devemos motivar os nossos jovens para uma escola que pretende ser espaço de vida que se vive, pretende ser caminho que se percorre.

 

O início da escola, tal como a nossa vida depois das férias, deve ser oportunidade de recomeço. Ocasião de começar algo de novo, dar azo a projetos novos, relançar relações e de reencontrar rostos que se possam ter perdido nas férias.

 

Como seria bom que a primeira semana de aulas fosse ocasião de reencontro, de festa, de partilha de saudades e de desejo de começar tudo de novo, num ritmo lento onde se desse prioridade à celebração da vida e à esperança renovada num ano letivo onde se aprenderão outras matérias e se farão novas amizades ou se reatarão as antigas…

 

Daqui a pouco já estaremos numa velocidade cruzeiro de quem cumpre um tempo de horas marcadas num calendário, onde a vida se esgota tantas vezes num pôr do sol… Sim, tantas e tantas vezes, nós adultos colocamos nas nossas crianças, adolescentes e jovens, a pressão quotidiana que vivemos nas nossas vidas…

 

Por essa razão é que é-nos difícil perceber o Evangelho deste domingo: «Se alguém vem ter comigo e não Me preferir ao pai, à mãe, à esposa, aos filhos, aos irmãos, às irmãs e até à própria vida, não pode ser meu discípulo.» (Lucas 14, 26) 

 

A pressa de viver a vida leva-nos a esquecer o essencial…

 

Que este reinício seja ocasião de renovar a esperança de uma vida plena e a certeza de que é esta que nos sossega o caminho que ainda temos pela frente.

Licenciado em Teologia. Professor de EMRC. Adora fazer Voluntariado.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail