O princípio do desapego

Crónicas 05 setembro 2019  •  Tempo de Leitura: 2 min

O princípio do desapego é o que nos ajuda a entender que nada nem ninguém é a última bolacha do pacote nem a última coca-cola no deserto (até porque o deserto requer água fresca e cristalina) e que não somos o centro do universo.

 

O princípio do desapego ajuda-nos a concentrar-nos no essencial da vida, cansados que andamos de alimentar sistemas.

 

O princípio do desapego leva-nos a olhar para o infinito e a deixar partir quem tem que partir e deixar ficar quem tem que ficar. É este um princípio da liberdade na responsabilidade, mas sobretudo da liberdade interior que nos traz um dos maiores bens: a paz interior. É este um princípio que nos poderá ajudar a tomar as melhores decisões e a fazer as melhores escolhas em cada circunstância da nossa vida.

 

O príncipio do desapedo leva-nos a olhar para cada momento como a possibilidade de um início e aponta-nos para os verdadeiros tesouros da vida. Esses mesmos, os que nem a traça nem a ferrugem corroem.  Quem sabe a nossa mochila esteja carregada de feridas que lambemos e não ousamos querer curar; quem sabe uma mochila carregada de certezas que não nos permite a abertura a outras formas de pensar e ver o mundo; quem sabe uma mochila carregada de mofo, fechados que andamos ao pulsar da vida dentro de nós. Um coração fechado é sempre um coração que morre antes de morrer. É um coração pesado porque cheio de si mesmo.

 

O princípio do desapego colabora - e muito - na nossa autenticidade, sedentos que estamos dela. E é a vida a melhor e mais sábia escola que nos ensina este princípio. Um princípio que nos traz leveza em todas as dimensões.

Cristina Duarte

Cronista

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail