Quando puderes, descansa!

Crónicas 31 julho 2019  •  Tempo de Leitura: 1 min

Tenta acrescentar tempo para o que te falta.

Procura horas ou minutos para respirar fundo e para descansar.

Não escolhas nada nem decidas por que lado deves ir.

Deixa-te estar. Deixa que a vida siga devagarinho e que, de vez em quando, resolva por ti.

Procura tempo para sossegar à beira mar, à beira rio ou à beira daquilo que te fizer mais sentido.

Quando encontrares o tempo que precisas para descansar, fica lá. Adormece sem pensar no trabalho que têm as estrelas para iluminar a noite.

Adormece sem pensar na energia que o sol gasta por nascer para ti todas as manhãs.

Quando encontrares tempo para ti, espreguiça-te. Acorda devagar e sem pressas e faz o que te apetecer. Come o que te apetecer. Bebe o que te apetecer. Vive o que te apetecer à velocidade que quiseres.

Quando encontrares tempo para sossegar, poisa o teu coração também. Não lhe dês motivos para pensar em coisas tristes ou que o magoem. Deixa-o descansar, também. De ti e do mundo.

Tenta acrescentar minutos para o que falta.

Descansa.

Respira.

Mergulha.

Nada.

Salta.

Voa.

Deixa cair as penas velhas.

Dá espaço para o que será novo.

Descansa.

Respira.

Atira-te para longe ou aquieta-te no que está perto.

Faz como quiseres.

Brinda.

Festeja.

Celebra.

Investe em quem te faz sorrir.

Descansa.

Suspende tudo.

Mais à frente logo se recomeça.

Marta Arrais

Cronista

Nasceu em 1986. Possui mestrado em ensino de Inglês e Espanhol (FCSH-UNL). É professora. Faz diversas atividades de cariz voluntário com as Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus e com os Irmãos de S. João de Deus (em Portugal, Espanha e, mais recentemente, em Moçambique)

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail