Sonhamos juntos

Crónicas 22 julho 2019  •  Tempo de Leitura: 3 min

uma dor que nos corrói, a dor do que não fizemos. Ador do que sonhámos mas pensámos não conseguir. A dor do esforço que não fizemos. A dor do que não foi feito. Ador de desistir sem ao menos tentar. A dor do que somente foi sonhado e se ficou pela impossibilidade do que um dia achámos não atingir, do que um dia achámos impossível. Quantas vezes já pensaram que o mundo não serve? Queas pessoas não estão preparadas? Que ainda não é o tempo? Que falta isto, aquilo ou outro?

 

Um dia descobrimos que não é o mundo que não serve somos nós que não servimos para criar o mundo onde desejamos viver. Um dia descobrimos que não são as pessoas que não estão preparadas somos nós que somos inseguros e frágeis. Um dia descobrimos que ainda não é o nosso tempo e que somos nós quem falta. Mas o que falta verdadeiramente para realizar os sonhos?

 

Muita coisa está mal quando deixas de sonhar. Muita coisa está mal quando começas a desistir daquilo que um dia sonhaste para ti. Algo está mal quando sentes que te tens de adaptar a um mundo onde tu és também construtora. Algo está mal quando sentes que o mundo não te serve. Porque sempre que pensas que o mundo não te serve é porque és tu quem não está a servir ao mundo para criar o mundo onde tanto desejas viver. És tu quem não está a caminhar para tornar real o mundo onde os teus sonhos podem ser reais.

 

Este mundo não é exterior. Este mundo é o teu mundo interior: é a tua casa, são os teus amigos e a tua família. que assumir a nossa vulnerabilidade. que assumir e conhecer os nossos fantasmas. que conhecer-nos de dentro para fora. que assumir quem somos. que assumir a nossa fragilidade. que rodear-nos de amor. que acreditar no amor. que acreditar nos nossos sonhos. Lembremo-nos que o mundo é da cor dos óculos que levamos postos. Quanto estamos tristes tudo é tristeza. Mas se ousarmos colocar os óculos do amor tudo senão amor será o que vemos e encontraremos no nosso caminho. E aí veremos, não paraísos mas o mundo o nosso mundo com todas as pessoas que com tamanho amor e dedicação nos possibilitam chegar até aqui. E aí vemos que não somos únicos a sonhar. E aí compreendemos que sonhamos juntos.

Paula Ascenção

Cronista

Leiga Missionária Comboniana por vocação. Gerontóloga de profissão. Nasci do amor e fiz d’Ele o meu caminho e missão. O meu lema de vida é “Ama e farás o que quiseres”. Peregrina de mim, viajante da vida, do mundo e das pessoas. Levo o coração como bússola e o amor de Deus como mapa no bolso de trás.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail