A magia acontece

Crónicas 15 julho 2019  •  Tempo de Leitura: 3 min

Procuramos a magia lá fora no sol que nasce, no pôr-do-sol, na tempestade que passa, na chuva que termina e no arco-íris que se forma depois de uma tempestade anunciando dias de sol. Procuramos magia na natureza. No vento que sopra fazendo as árvores dançar as mais delicadas e suaves melodias. Procuramos magia na brisa que nos beija quando observamos sentados o ondular do mar que explode e logo se acalma. Procuramos magia fora de nós. Quando a maior magia está em nós, dentro de nós. A maior magia está em cada ser humano, está na sua capacidade de se restabelecer depois de chegar ao fundo do poço.

 

A maior magia está na nossa capacidade em beijarmos as nossas feridas, uma a uma. Está na nossa capacidade de nos cuidarmos mesmo quando não queremos muito, mesmo quando nos achamos a pior pessoa do mundo. Magia é o amor entre duas pessoas seja amizade ou romance. Magia é a capacidade de um abraço curar tudo. Magia é como chorar nos traz claridade, transparência e nos possibilita ver a luz mais de perto. Magia é como depois de tantas caídas, de tantos erros e de tanto cansaço ainda encontras na missão o teu verdadeiro amor.

 

Magia é um amor usado, com anos de idade, com vivências, com separações, com promessas de nem mais um dia. Magia é gritar aos sete ventos nunca mais, não quero mais, não aguento mais. Magia é depois da maior tempestade interior voltar a casa e ter a lareira acesa e descobrires que Deus ainda te ama e que está tudo bem. Magia é compaixão.

 

Magia é redescobrir a paixão, uma e outra vez pela mesma coisa. Magia é redescobrir o amor uma e outra vez pela mesma pessoa. Magia não é uma pessoa à prova de balas, nem um amor novo a estrear. Magia é um amor, com vida, com passado, com feridas, cicatrizes, com dores, com erros. Magia é um amor antigo e usado. Magia é um amor em segunda mão, talvez em terceira. Magia é tentar não uma vez, mas vezes infinitas. Magia é tentar até conseguir, tentar até dar certo, tentar até evoluir e crescer.

 

Assim é na vida e na missão. Talvez ontem tenha adormecido cansada e esgota em tempestade e em crise. Mas hoje. Hoje é um novo dia, o sol brilha e senti-me renascida quando me cruzei com esta frase:“Ide, sem medo, para servir. Ide, sem medo, para servir. Seguindo estas três palavras, vocês experimentarão que quem evangeliza é evangelizado, quem transmite a alegria da fé, recebe mais alegria.”(Papa Francisco)A magia aconteceu, o amor voltou a amanhecer e eu soube-me outra vez apaixonada. Não por algo diferente, não por alguém novo. Pelo mesmo de sempre: a missão. A vida não é fácil. A missão não é fácil. Nunca ninguém me prometeu facilidades. Mas digo-vos é sempre a primeira vez. É sempre como um regresso a casa. Quando me apaixono outra vez. Me cruzo outra vez com esta certeza de que seja como flor é pelo amor que vou. É pelo amor que vamos.

Paula Ascenção

Cronista

Leiga Missionária Comboniana por vocação. Gerontóloga de profissão. Nasci do amor e fiz d’Ele o meu caminho e missão. O meu lema de vida é “Ama e farás o que quiseres”. Peregrina de mim, viajante da vida, do mundo e das pessoas. Levo o coração como bússola e o amor de Deus como mapa no bolso de trás.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail