Por-nos a caminho

Crónicas 10 junho 2019  •  Tempo de Leitura: 2 min

Cada pessoa que atravessa o teu caminho é um presente de Deus para ti ainda que a maior parte das vezes apareçam sob a forma de desafio: atiçam-nos, movem-nos, acicatam-nos e remexem-nos. Não, nem sempre gostamos à primeira vista, talvez nem à segunda. Precisamos de despirmo-nos de nós para ver a outro. Precisamos de despirmo-nos do nosso eu, das nossas crenças, dos nossos valores, das certezas absolutas, do certo e do errado. Precisamos de despir a alma para caminhar ao encontro da alma do outro. O desafio é que desnudar-nos, mostrar-nos tal e como somos nos torna mais frágeis. Mas também é isso que nos torna humanos.

 

Mas e quando somos magoados?

 

Atrevemo-nos nós a entregar-nos da mesma maneira. Ousamos nós caminhar até ao outro. Ou por outro lado temos medo ou deixamo-nos consumir pelo medo? Quantas pessoas, tesouros, presentes de Deus deixam escapar por medo de nos magoarmos? Amar é correr risco. Correr o risco de cair, de romper o braço e de esfolar o joelho. Amar é correr o sério risco de ser feliz. É deixar de lado o medo que nos diz que é só mais um dia, mais uma pessoa e que vai ser tudo igual que vai-nos magoar e confiar. Acreditar que vamos conseguir fazer diferente. Caminhar de maneira diferente. E crer naquela pessoa, no novo dia. E fazer acontecer. Despojemo-nos do medo, da insegurança. Ousemos seguir em frente. Ousemos confiar em nós. Ousemos fazer diferente. Ousemos ser os loucos que confiam que cada amanhecer traz algo novo, algo melhor, algo diferente. Ousemos procurar nas pessoas, nos dias e nos acontecimentos o amor. Ousemos procurar pela magia, por aquela coisa que ninguém sabe explicar mas que nos mantém ligados à vida, à magia da vida e nos deixa estupidamente feliz sem motivo. Talvez nuns dias o encontremos no sol, no dia seguinte no senhor que nos sorri e nos diz bom dia quando passamos. Talvez nuns dias seja tão difícil que só nos reste o bom humor e a certeza que amanhã o sol brilhará. E está tudo bem. Está tudo bem enquanto formos ousados e loucos o suficiente para continuar a viver a vida em cada dia, em cada momento. Está tudo bem enquanto cometermos a loucura de acreditar que cada dia é uma nova oportunidade basta pormo-nos a caminho.

Paula Ascenção

Cronista

Leiga Missionária Comboniana por vocação. Gerontóloga de profissão. Nasci do amor e fiz d’Ele o meu caminho e missão. O meu lema de vida é “Ama e farás o que quiseres”. Peregrina de mim, viajante da vida, do mundo e das pessoas. Levo o coração como bússola e o amor de Deus como mapa no bolso de trás.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail