Quantas pedras tens no sapato?

Crónicas 08 maio 2019  •  Tempo de Leitura: 2 min

Há sempre qualquer coisa a impedir que os dias corram ao sabor do vento. Há sempre a miragem de uma preocupação, uma nuvem que não se dissipa, um ruído a martelar dentro do coração ou uma pedra pequenina dentro do sapato.

 

Há sempre qualquer coisa que não nos deixa viver quietos. Com sossego. Em paz. Munidos da licenciatura que temos em Ciências da Reclamação, refilamos. Reclamamos. Protestamos. Qual a necessidade e a intenção do universo, de Deus ou dos Céus em deixar-nos em permanente corrupio? Em permanente sobressalto?

 

Na verdade, as pedras no sapato parecem existir para nos fazer lembrar do que é mais importante.

 

Na verdade, as pedras no sapato parecem persistir para nos recordar que a maciez dos momentos que vivemos só nos fará sentido se também existir a aspereza. Não sentindo a segundo, nunca compreenderíamos a validade e o valor da primeira.

 

As pedras no sapato existem sempre. Para nos fazer acordar. Para nos dizer que o caminho traz bolhas. E feridas. E percalços. E desvios. E quedas. E transtornos.

 

No entanto, as pedras não são raízes nem as ganham. Normalmente não pensamos nisso. Ficamos focados na nossa pedra. No nosso sapato. No nosso caminho e no tamanho da nossa dor.

 

Estamos tão concentrados na nossa pedra que não deixamos espaço para pensar numa solução simples como a água que passa nos rios: a pedra não tem que estar dentro do meu sapato. Já a senti. Já percebi a mensagem que me quer transmitir ou a verdade que me quer dizer. Agora, em vez de ficar concentrado nela, posso tirar o sapato, tirar a pedra e deixá-la para trás.

 

Não tinhas pensado nisso, pois não?

 

Quantas pedras (ainda) tens dentro do sapato?

tags: Marta Arrais

Marta Arrais

Cronista

Nasceu em 1986. Possui mestrado em ensino de Inglês e Espanhol (FCSH-UNL). É professora. Faz diversas atividades de cariz voluntário com as Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus e com os Irmãos de S. João de Deus (em Portugal, Espanha e, mais recentemente, em Moçambique)

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail