É pelo sonho que vou

Crónicas 15 abril 2019  •  Tempo de Leitura: 2 min

Quando tudo parece negro e difícil é o amor quem me faz seguir adiante. Às vezes questiono-me de medo e ansiedade mas depois oiço quem caminha a meu lado repetir-me: “Entrega, entrega tudo o que és e tudo o que sentes.” Então sinto que está tudo bem. 

 

Cada um de nós é chamado a coisas diferentes. Todos somos chamados a mudar o mundo de uma maneira diferente, única e especial. Ninguém o fará como eu tal como ninguém o faz como tu. Só tu és tu. Todos somos únicos e especiais e esse é o nosso super poder. Assim também a nossa missão, o nosso sonho de amor é único e especial. Só precisamos de entregar o que somos, medos, ansiedades e deixar-nos ir. Entregar-nos. Deixemos que a vida nos apresente os seus planos. Deixemos que a vida apresente os planos que tem para cada um de nós.

 

O tempo não te traz respostas, nem torna tudo mais fácil. É o caminho, é a ousadia de nos entregarmos em cada momento, em cada passo, em cada incapacidade, em cada dificuldade. Quando nos entregamos, quando confiamos, quando fazemos o nosso melhor é aí que crescemos, evoluímos e nos tornamos mais fortes, mais capazes. Aos poucos damos por nós mais capazes de sonhar e de levar a vida e os sonhos apesar de todos os obstáculos e de todas as dificuldades.

 

Os sonhos não têm prazo de validade. Estou cansada e nem todos os dias são de alegria estonteante e elétrica. Mas como me ensinou Fernando Pessoa é pelo sonho que vamos, é o sonho quem comanda a vida. Deixo o sonho e o amor comandar a minha vida. Então deixo o sonho comande a minha vida, deixo-me levar. A vida não é perfeita, não é fácil mas se ousamos caminhar, se nos entregamos sempre que encontramos uma dificuldade, se nos permitimos evoluir em cada obstáculo vamos pouco a pouco, pedaço a pedaço construir o nosso caminho.

Paula Ascenção

Cronista

Leiga Missionária Comboniana por vocação. Gerontóloga de profissão. Nasci do amor e fiz d’Ele o meu caminho e missão. O meu lema de vida é “Ama e farás o que quiseres”. Peregrina de mim, viajante da vida, do mundo e das pessoas. Levo o coração como bússola e o amor de Deus como mapa no bolso de trás.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail