Não te leves a sério, leva-te com amor

Crónicas 08 abril 2019  •  Tempo de Leitura: 2 min

Viver tal como a missão é uma loucura sã. Viver exige que sejamos insanamente saudáveis. Vivemos entre as lágrimas e o sofrimento dos desafios que se avizinham e as piadas mais sem sentido.  Adorava explicar-vos como foi difícil caminhar juntas ao início. Mas e porque queremos, porque nos predispomos a percorrer juntas este caminho somos felizes. A vida aqui é pesada. Tudo aqui é pesado mas nós fazemo-lo ser leve. Haja amor, alegria, bom humor e capacidade de amar e de nos rirmos do mundo, de nós e dos outros. 

 

Assim é a vida. Assim quero viver sempre nesta corda bamba onde sou imensamente feliz e completa mas ainda assim quero mais. Entre o sofrimento e a violência, entre os cenários horríveis que se repetem de casa em casa em todas as classes sociais e até de pais para filhos. Entre ouvir histórias que partem o coração entre ver o sofrimento e a violência há minha frente e sonhar, sonhar sempre. Não só para mim mas para eles. É eu sonho. Eu acredito e confio. E concretizo. Não mudo o mundo. Não tenho ilusões. Mas enquanto houver uma família a ter vontade de mudar de fazer melhor, de querer fazer diferente para o filho ser feliz, plenamente feliz tudo está bem. Tudo está bem quando em cem pessoas há uma com vontade de amar melhor. Tudo está bem quando vêm às orações e actividades para receber um abraço nosso. O que mais dou é abraços e orações. O que dou mais é amor fazendo questão de me sentar e ouvir como se não tivesse nada para fazer a seguir. Porque não tenho. E se tiver deixarei de ter. Tudo está bem e se não está nós fazemos ficar. Tudo está bem. Tudo está bem sempre que olhamos o lado positivo e fazemos humor com o lado desafiante. Tudo está bem sempre que mantivermos a capacidade de rir, amar e sonhar. 

 

A vida não existe para que a levemos a sério. Até os desafios se vivem melhor quando ao olhar uma para a outra fazemos piadas dos desafios que avistamos. Ontem adormeci com dores de crescimento. Hoje adormeço a sorrir como quem se repete está tudo bem. Passo a passo construímos caminhos.  Pouco a pouco deixamos a vida acontecer-nos. Pouco a pouco deixamos a vida florescer-nos.

Paula Ascenção

Cronista

Leiga Missionária Comboniana por vocação. Gerontóloga de profissão. Nasci do amor e fiz d’Ele o meu caminho e missão. O meu lema de vida é “Ama e farás o que quiseres”. Peregrina de mim, viajante da vida, do mundo e das pessoas. Levo o coração como bússola e o amor de Deus como mapa no bolso de trás.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail