Viver é desatar nós

Crónicas 07 fevereiro 2019  •  Tempo de Leitura: 1 min

Viver é desatar nós:

aqueles que nos consomem a garganta e nos sufocam as palavras que se transformam em frases inacabadas;

aqueles que nos fazem entupir com lágrimas contidas por sofrimentos pouco partilhados como se cada pessoa estivesse condenada a viver por sua própria conta e risco;

aqueles que transformam conversas arquivadas em diálogos fecundos que trazem saúde;

aqueles que devolvem o brilho no olhar quando o coração se enche de esperança.

 

 

Viver é desatar nós:

aqueles que fazem as nossas ruas escuras como se a nossa vida fosse somente constituída por sombras e incertezas;

aqueles que nos prendem a ilusões desmedidas e não nos deixam saltar para a realidade criadora;

aqueles que não nos deixam ver que o preço da vida não pode ser negociado;

aqueles que preenchem os nossos dias com relatórios e informações em texto corrido como se a vida não fosse uma grande folha em branco;

aqueles que não nos ajudam a ver que a vida é feita de muitas probabilidades e menos pré-visões e pré-conceitos;

aqueles que nos ajudam a lidar com serenidade e leveza com os imprevistos e adversidades;

aqueles que nos permitem driblar o pessimismo e acreditar em soluções.

 

Viver é desatar nós:

aqueles que tiram a alma do emaranhado da vida pela metade e a levam às fontes da Vida eterna e abundante!

Cristina Duarte

Cronista

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail