Permanece disponível ao amor

Crónicas 14 janeiro 2019  •  Tempo de Leitura: 3 min

Falo muitas vezes da necessidade de permanecer disponível. Santo agostinho diz-nos que ter fé é assinar uma folha em branco e deixar que Deus escreva nela. Deus tem uma missão diferente para cada um de nós e isso exige também que estejamos disponíveis para aceitá-la e fazê-la cumprir em cada dia. Amar a deus pede que deixes a porta do teu coração aberta, pede muitas vezes que deixes a porta de tua casa aberta. Ser missionário é fazer da nossa casa, a casa do povo onde todos podem bater a pedir ajuda, a partilhar a vida, para sorrir, para incomodar, para partilhar almoço, sobremesa ou simplesmente perguntar como estamos.

 

Ser missionário é deixar sempre a porta da nossa casa e do nosso coração abertas e disponíveis para que entrem, se sentem e estejamos juntos. Não há pressa de ir. Não há pressa de escapar. Não há outra coisa para fazer a seguir quando se trata de amar. Quando estou, estou. Quando oiço, oiço. Sem viagens sobre o que faremos depois ou sobre as muitas ocupações para depois. Ser missionário é muitas vezes deixar escapar o horário e reprogramar o dia todo por sentirmos que ali agora é o nosso lugar. Ser missionário é não ter horário por sabermos reconhecer que o nosso horário é o amor.

 

Deixamo-nos levar ao sabor do nosso coração, ao sabor do amor de Deus que por vezes nos sopra rumo a outras paragens, a outros abraços e cafunes. Vamos certas que percorremos um caminho que não é nosso, mas de Deus. Ao aceitar ser missionários de Deus, ao aceitar a missão que Deus colocou na nossa vida aceitámos ser instrumentos de Deus, aceitámos por a nossa vida nas mãos de Deus para que Ele a usa-se como bem necessitasse e nos enviasse aonde nos esperavam. Assim o fizemos e assim fazemos em cada dia. Em cada amanhecer repetimos o nosso sim a Deus e à nossa disponibilidade para seguir entregando-nos à sua vontade. Fazemo-lo por sabermos e sentirmos que só o amor nos liberta, só o amor é capaz de nos levar a mais altos voos onde sós nunca chegaríamos. “Se queres ir depressa vai sozinho, se queres ir longe vai acompanhado”. Eu acompanho-me e entrego-me a Deus em cada dia confiando que Ele encarregar-se-á de me fazer chegar e encontrar todos quanto me esperam e todos quantos eu espero.

Paula Ascenção

Cronista

Leiga Missionária Comboniana por vocação. Gerontóloga de profissão. Nasci do amor e fiz d’Ele o meu caminho e missão. O meu lema de vida é “Ama e farás o que quiseres”. Peregrina de mim, viajante da vida, do mundo e das pessoas. Levo o coração como bússola e o amor de Deus como mapa no bolso de trás.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail