I Advento: «…não suceda que os vossos corações se tornem pesados…»

Crónicas 01 dezembro 2018  •  Tempo de Leitura: 5 min

Parados… estaticamente, a olhar para o sinal STOP que nos manda petrificar perante um cruzamento.
Parados… com uma vontade de permanecer quietos para toda a eternidade.
Parados… sem vida e sem força para continuar, esta marcha que nos impuseram.
Parados… Parados… Parados!

 

O mundo desaba à nossa volta…
sempre que algo sai do controle; sempre que algo é como não planeamos;
sempre que distraidamente um pormenor nos passa ao lado e perdemos o chão, os alicerces, o tecto;
sempre que permitimos ficar presos ao mundo e às “desgraças” engraçadas que destabilizam a nossa vida!
O controle da nossa vida leva-nos, muitas vezes, para Ser apenas aquilo que somos:
um EU! Fechados e parados! Escravos!
Aniquilamos a hipótese de Ser mais! A aventura de Ser Alguém no cruzamento de outro Alguém que está parado!
O Ser: “um Nós”… deixa-nos parados! Com medo, sem tempo, com dúvidas!

 

Vamos caminhar? Vamos Ser metamorfose? Vamos Ser Páscoa neste Tempo de Advento e preparação para o Natal?
Então, vamos gravar na nossa mente:
«…farei germinar para David um rebento de justiça que exercerá o direito e a justiça na terra.»
EU Posso Ser esse rebento!
Agora, vamos tatuar no nosso peito:
«O Senhor vos faça crescer e abundar na caridade uns para com os outros e para com todos…»
EU Quero Ser caridade!
E… só neste momento, seremos capazes de cantar, louvar e gritar alegremente:
«Para Vós, Senhor, elevo a minha alma.»

 

Hoje, iniciamos um novo ano litúrgico, o Ano C. O Ano do Evangelista S. Lucas,
aquele que privou com S. Paulo e escreveu os Atos dos Apóstolos!
Aquele que nos vai aprisionar com os relatos escritos da voz do Mestre: «Haverá sinais…»
Mas, que Sinais são estes? Que coisas extraordinárias são estas de que nos fala a Liturgia?
É tão simples e tão singelo que faz de cada um de nós, “um EU” perdido nos cantos remotos da nossa existência…
O maior sinal que surge é a forma com que tu olhas para o outro:
para o teu pai, para a tua mãe, para os teus avós, para os teus irmãos, para os teus filhos…
Reconhece neles a maior riqueza que possuis! O maior Milagre (Sinal) que Deus colocou no centro da tua vida!
O teu coração tem a capacidade enorme de amar (nem tu és capaz de descrever, nem tu imaginas o poder que tens.)
mas, para isso, terás de abrir as portas! Terás de te rasgar e Avaliar…
Depois de Amares os “teus”… o Sangue que te corre nas veias… vem o Sinal maior:
Olha com Amor os amigos, os vizinhos, os conhecidos e todos os que partilham o dia-a-dia contigo!
E, quando fores capaz de Ser Amor para eles…
Verás que o teu coração ainda tem espaço para mais:
Acolhe com Amor os mais pobres, negligenciados pela nossa sociedade, por mim e por ti…
Mas, fá-lo com alegria e com um sorriso contagiante!
Deixa as tuas tormentas em casa e vai!

 

Leva contigo a certeza de que a tua missão é Ser Esperança na Alegria! Ser Sinal! Ser de Deus!
Escuta o que nos diz o Mestre, quando a tribulação te apanha e te faz parar:
«…VIGIAI (estai atentos ao desamor com que se vive)e ORAI (carregai as baterias)em todo o tempo,
para que possais livrar-vos de tudo o que vai acontecer e comparecer diante do Filho do homem»

 

Faz-te Missão!
Avalia cada segundo do teu dia e arranca sem medo e sem pensar duas vezes,
no que poderá acontecer se fores e deixares tudo o que já conheces para trás…
Pensa apenas no que irás encontrar e poderás Ser!
E quando voltares a ficar parado no STOP da segurança da Tua vida,
deixa-te envolver por Aquela Esperança
que podes oferecer àquele que ficou parado e preso
num mundo que o envolveu com sinais de trevas!

 

Sê Tu Sinal de Amor! Sê Tu O rosto do Filho do Homem, que HOJE, veio para servir e Ser Missão!
Avalia-te… e dá-te nota máxima! Liberta-te… não fiques parado!

Liliana Dinis

Cronista Litúrgica

Liliana Dinis. Gosta de escrever, de partilhar ideias, de discutir metas e lançar desafios! Sem música sente-se incompleta e a sua fonte inspiradora é uma frase da Santa Madre Teresa de Calcutá: “Sou apenas um lápis na mão de Deus!”
Viver ao jeito do Messias é o maior desafio que gosta de lançar e não quer esquecer as Palavras de S. Paulo em 1 Cor 9 16-18:
«Porque, se eu anuncio o Evangelho, não é para mim motivo de glória, é antes uma obrigação que me foi imposta: ai de mim, se eu não evangelizar. (…) Qual é, portanto, a minha recompensa? É que, pregando o Evangelho, eu faço-o gratuitamente, sem me fazer valer dos direitos que o seu anúncio me confere.»

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail