«…havia de ser pregado em seu nome o arrependimento e o perdão…»

Crónicas 15 abril 2018  •  Tempo de Leitura: 4 min

Quando um “problema”nos bate à porta, a nossa vida envolve-se nas trevas,
como se estivéssemos adormecidos
num poço escuro e profundo de onde nos é impossível sair.
Caímos no desalento e queremos partir…
Queremos regressar ao “tempo” onde tudo era como conhecíamos.
Onde tudo nos é familiar e onde encontramos Paz, Amor e Serenidade!
Mas durante” o caminho de regresso”, poderá surgir algo que nos fale abertamente…
Algo que nos faça voltar ao ponto de partida,
e através de um diálogo intenso e saboroso resolve-nos o “problema”
Alguém que nos faça sonhar com uma Esperança Boa e Nova… e como é BOM sonhar…
Como é bom acreditar que «…se alguém guardar a sua palavra, nesse, o amor de Deus é perfeito!»

 

Em primeira instância, Jesus procura os Discípulos que regressavam a Emaús e,
com uma equaçãode palavras fortes e belas, resolve-lhes o” problema”!
Sentiu o desânimo, por tudo o que viveram, nos últimos dias:
«…vós entregastes e negastes na presença de Pilatos, estando ele resolvido a soltá-l’O.
Negastes o Santo e o Justo e pedistes a libertação dum assassino; matastes o autor da vida…»
Até escutava a dor dos corações amargurados causada pelo silêncio da Sua morte.
O Messias não ficou parado, nem aceitou a mudança do caminho.
Vai ao Encontro e arranca-lhes do peito inflamado, uma resposta plena em ardor:
«Fazei brilhar sobre nós, Senhor, a LUZ do vosso rosto.»

 

Eis que neste 3º domingo da Páscoa, a Liturgia vem ao nosso encontro
com as equações bem resolvidase provas concretas da Ressurreição do Mestre:
«Vede as minhas mãos e os meus pés: sou Eu mesmo;
tocai-Me e vede: um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que Eu tenho»

 

E… do silêncio profundo do túmulo, escuta-se uma voz penetrante e repleta de Amor
que nos desperta para um desabrochar intenso da Esperança!
Uma Voz que quer escutar os nossos medos, derrotados pelo anseio de O vermos e de O tocarmos!
Uma Voz que se cala, para se sentar à mesa connosco e com toda a ternura pedir:
«Tendes aí alguma coisa para comer?»
Uma Voz que nos toca «…o entendimento para compreendermos as Escrituras…»!
Uma Voz que não desiste de cada um de nós e
nos faz vencer as idolatrias que criamos à volta de nós próprios!

 

Não deveria ser assim a tua vida?
Não deverias partir ao encontro de quem teme Amar o Mestre e de quem cai no desalento da Sua morte?
Não deverias abrir o Teu coração às escrituras e aceitar que o Nosso Deus fez-se homem,
para te arrancar do peito a erva daninha do pecado e semear, docemente, a cruz da Redenção?

 

Porque duvidas ainda do poder do pedacinho de Pão, onde meigamente repousa para Te saciar a fome?
De que tens medo? De que te escondes? De que foges?
Não mudes o teu rumo! Arrepende-te e aceita o Perdão!
Não permitas que a certeza da morte, te rasgue a Fé de que O conheces e ceias com Ele!

 

Hoje… Sim! HOJE! Porque o Ressuscitado vem ter contigo todos os dias para que: «A paz esteja convosco»


Hoje, temos de cravar no peito a única soluçãopossível, que nos faz caminhar ao encontro de todos:
«Sabei que o Senhor faz maravilhas pelos seus amigos, o Senhor me atende quando O invoco.»

 

Hoje, somos mais do que irmãozinhos… Somos os Seus verdadeiros AMIGOS: aqueles com quem Ele fala!

Liliana Dinis

Cronista Litúrgica

Liliana Dinis. Gosta de escrever, de partilhar ideias, de discutir metas e lançar desafios! Sem música sente-se incompleta e a sua fonte inspiradora é uma frase da Santa Madre Teresa de Calcutá: “Sou apenas um lápis na mão de Deus!”
Viver ao jeito do Messias é o maior desafio que gosta de lançar e não quer esquecer as Palavras de S. Paulo em 1 Cor 9 16-18:
«Porque, se eu anuncio o Evangelho, não é para mim motivo de glória, é antes uma obrigação que me foi imposta: ai de mim, se eu não evangelizar. (…) Qual é, portanto, a minha recompensa? É que, pregando o Evangelho, eu faço-o gratuitamente, sem me fazer valer dos direitos que o seu anúncio me confere.»

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail