Preparar a Quaresma, vivendo o Carnaval.

Crónicas 13 fevereiro 2018  •  Tempo de Leitura: 4 min

As origens do Carnaval perdem-se nos tempos. Inspira-se em tradições pagãs muito antigas, em que se celebrava a vitória da luz sobre as trevas; a vitória da Primavera que chegava para substituir os rigores do Inverno. Desde inicio que caracteriza-se pela folia desregulada e cheia de "excessos". É um momento de alegria e diversão.

 

O cristianismo não condenou estes festejos mas "disciplinou-os". Uma das origens da palavra "Carnaval" vem do latim "carnem levàmen", ou seja, "tirar a carne". Indica o tempo que antecede a Quaresma, caracterizada pelo jejum e abstinência. Portanto, é um momento de contraste com a vida diária do trabalho. Com esse tempo que passa a correr sem darmos por ele. Um momento de abundância em oposição à sobriedade e recolhimento que a Quaresma exige.

 

Podemos questionar se o Carnaval de hoje é um momento de folia que antecede e predispõe-nos para vivermos a Quaresma. Podemos perguntar se é uma ocasião de união entre todos, ou se envolve toda a gente, desde os pequenos ao adultos. No entanto, todo o cristão é chamado a viver este tempo de uma maneira positiva e com criatividade. A fé tem que estar encarnada de humanidade e de vida quotidiana. Se há alguma coisa que nos entristece, há que envolver-se e fazer tudo para o alterar. Uma participação nos cortejos ou nas folias destes dias, não vão ferir a nossa fé, mas  ajudar-nos a encarnar no "aqui e agora".

 

Amanhã voltamos à realidade e ao essencial. Divirtam-se hoje!

 

Para hoje e amanhã, sugiro o «Decálogo do quotidiano do Papa João XXIII»:

 

«1) Só por hoje, procurarei viver o dia (num sentido positivo), sem querer resolver o problema da minha vida todo de uma só vez.

 

2) Só por hoje, terei o cuidado máximo com o meu aspeto: vestirei com sobriedade; não levantarei a voz; serei gentil com todos; não criticarei ninguém; não pretenderei melhorar ou disciplinar ninguém a não ser a mim mesmo.

 

3) Só por hoje, serei feliz na certeza que fui criado para ser feliz não só no outro mundo, mas também neste.

 

4) Só por hoje, adaptar-me-ei às circunstâncias, sem pretender que as circunstâncias se adaptem todas a mim.

 

5) Só por hoje, dedicarei dez minutos do meu tempo a alguma boa leitura, recordando que como a comida é necessária para a vida do corpo, assim a boa leitura é necessária para a vida da alma.

 

6) Só por hoje, realizarei uma boa ação e não o direi a ninguém.

 

7) Só por hoje, farei pelo menos uma coisa de que não tenho gosto em fazer, e se me sentir ofendido nos meus sentimentos, farei de modo que ninguém se aperceba.

 

8) Só por hoje, farei um programa: talvez não o siga à risca, mas farei. E proteger-me-ei de dois males: a pressa a e indecisão.

 

9) Só por hoje, acreditarei firmemente, não obstante as aparências, que a boa providência de Deus ocupa-se de mim como de nenhum outro ser existente no mundo.

 

10) Só por hoje, não terei medo. De uma forma particular, não terei medo de apreciar aquilo que é belo e de acreditar na bondade. Posso fazer bem, durante doze horas, aquilo que me assustaria se pensasse em fazer por toda a vida.

 

"Quero ser bom, hoje, sempre, com todos".»

 

Bom Carnaval e votos de uma quotidiana Quaresma.

Licenciado em Teologia. Professor de EMRC. Adora fazer Voluntariado.

Subscrever Newsletter

Receba os artigos no seu e-mail